Cientistas dizem quando primeira vacina contra o câncer estará pronta

Fabricantes dizem estar animados com o impacto que a tecnologia utilizada na vacina pode ter no tratamento da doença

A primeira vacina do mundo contra o câncer já tem uma previsão de quando estará pronta. De acordo os seus desenvolvedores, o imunizante revolucionário, que poderá prevenir milhares de mortes a cada ano, está na segunda fase de testes, antes de partir para a terceira e última fase. As fabricantes Moderna e Merck (MSD no Brasil) disseram que os resultados do teste, que determinará se a vacina impede que o câncer volte, são esperados até o final do ano, ou seja – em até três meses – o mundo poderá ter sua vacina contra o câncer pronta.

 

A vacina experimental é baseada na mesma tecnologia de RNA mensageiro (mRNA ) que foi usada para criar as vacinas contra a covid. Ela está sendo estudada no tratamento de pacientes com melanoma de alto risco, a forma mais mortal de câncer de pele. E os testes de fase 2 envolveram 157 pacientes com essa forma da doença. ]

 

Como a vacina contra a câncer vai funcionar?

Usando apenas o código genético do vírus, as vacinas de mRNA são injetadas no corpo, entrando nas células e dando comando para elas criarem antígenos. Esses antígenos são reconhecidos pelo sistema imunológico e o preparam para gerar uma resposta antitumoral personalizada contra a mutação tumoral específica. Nenhum vírus é necessário para criar uma vacina de mRNA. Isso significa que a taxa na qual a vacina pode ser produzida é acelerada.

Para aumentar a ação da vacina, a dose está sendo administrada juntamente com um anticorpo monoclonal da MSD, chamado Keytruda, considerado tratamento padrão para o melanoma. Esse medicamento também ativa o sistema imune para reconhecer as células cancerígenas e atacá-las.

“Esta colaboração de longo prazo combinando a experiência da Merck em imuno-oncologia com a tecnologia pioneira de mRNA da Moderna resultou em uma nova abordagem de vacina sob medida”, comentou o chefe de desenvolvimento clínico global e vice-presidente sênior da Merck Research Laboratories, Dr. Eliav Barr.

O presidente da Moderna, Stephen Hoge, disse que os dados dos testes são esperados neste trimestre.

“Continuamos animados com o futuro e o impacto que o mRNA pode ter como um novo paradigma de tratamento no tratamento do câncer”, acrescentou.

Fonte: Catraca Livre

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.